8.4 C
Bruxelas
Segunda-feira, abril 15, 2024
EuropaO Futuro da Ucrânia, como sair da crise?

O Futuro da Ucrânia, como sair da crise?

AVISO LEGAL: As informações e opiniões reproduzidas nos artigos são de responsabilidade de quem as expressa. Publicação em The European Times não significa automaticamente o endosso do ponto de vista, mas o direito de expressá-lo.

TRADUÇÕES DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: Todos os artigos deste site são publicados em inglês. As versões traduzidas são feitas por meio de um processo automatizado conhecido como traduções neurais. Em caso de dúvida, consulte sempre o artigo original. Obrigado pela compreensão.

Pela primeira vez desde o início da guerra, o futuro da Ucrânia está a ser considerado. Uma conferência internacional de alto nível foi realizada em Paris sobre como parar o derramamento de sangue.

A conferência foi organizada na Paris Business School em 24 de outubro de 2023 com palestrantes proeminentes, especialistas, pesquisadores e jornalistas. Foi moderado por Frédéric Encel, professor de geopolítica na Paris Business School e Sciences Po, tendo como palestrantes o embaixador Gerard Araud, ex-diplomata francês e Jeffrey Sachs, economista americano e professor da Universidade de Columbia.

Embaixador Araud salientou que a guerra na Ucrânia necessita de uma diplomacia que é difícil de compreender para os europeus. Ele trouxe o precedente e o modelo sul e norte-coreano de cessar-fogo e congelamento do conflito como uma solução possível.

Lembrou também que todas as fronteiras da Europa de hoje são o resultado de diferentes guerras e que em cada guerra havia um lado atacante e um lado defensor. É notável que o Embaixador veja boas probabilidades de a guerra ser interrompida depois de Donald Trump vencer as eleições, o que é um cenário provável para as próximas eleições nos EUA.

Christophe Gomart, um general e um respeitado colunista juntou-se à análise do Embaixador Araud ao analisar a situação de uma perspectiva militar e considerar o potencial da Ucrânia e da Rússia. A Ucrânia está a ser destruída e exausta, embora mantenha o espírito elevado, mas as capacidades russas parecem ser maiores, apesar da ajuda do Ocidente à Ucrânia.

Gaidz Minassiano, professor da Sciences Po e jornalista do Le Monde comparou a guerra ucraniano-russa ao conflito entre a Arménia e o Azerbaijão e como esta guerra teve muitas repercussões noutros conflitos na região e na necessidade de pôr fim ao conflito para estabilizar a região.

Manel Msalmi, o presidente da Associação Europeia para a Defesa das Minorias e investigador em relações internacionais em Bruxelas mencionou que a Ucrânia precisa de lutar contra a corrupção e a insegurança alimentar. Ela enfatizou a destruição contínua da Ucrânia e o sofrimento humano. Manel Msalmi também levantou a questão do nível crescente de corrupção na Ucrânia, que é agora amplamente discutido nos EUA. E ela disse: “Devemos fazer uma pergunta: por que os meios diplomáticos são tão fracos? Por que não utilizar os meios de negociação para parar a guerra? Entretanto, a Ucrânia está a ser destruída. A guerra desestabiliza o mundo e elimina a Ucrânia”.

Professor Jeffrey Sachs, Economista americano e professor da Universidade de Columbia juntou-se à discussão via zoom. Ele afirmou que esta guerra deveria ter sido evitada tantas vezes. Infelizmente, houve ocasiões para negociar, mas os EUA tentavam alargar a NATO a qualquer custo, sem levar em consideração as preocupações russas. Agora, a Ucrânia está a perder não só por sacrificar centenas de milhares de pessoas, mas possivelmente por perder a soberania. Ele foi muito crítico em relação às atuais políticas dos EUA. Ele insistiu que a forma de parar a guerra através de negociações deve ser encontrada.

O último orador foi Gérard Chaliand, geopolítico, escritor e vencedor do prêmio do livro de geopolítica. Felicitou calorosamente o professor Sachs e destacou a necessidade de parar a guerra e salvar a vida do povo ucraniano, mas também questionou a continuação dos fornecimentos militares à Ucrânia.

A conferência terminou com uma série de perguntas dos alunos interessados ​​em trocar ideias com os especialistas.

Este foi o primeiro evento deste tipo que pode levar a novas discussões e abertura de olhos.

- Propaganda -

Mais do autor

- CONTEÚDO EXCLUSIVO -local_img
- Propaganda -
- Propaganda -
- Propaganda -local_img
- Propaganda -

Deve ler

Artigos Mais Recentes

- Propaganda -