10.1 C
Bruxelas
Quarta-feira, fevereiro 21, 2024
InstituiçõesNações UnidasGaza: início da trégua alimenta esperanças de trégua e acesso às pessoas em...

Gaza: início da trégua alimenta esperanças de trégua e acesso às pessoas necessitadas: Humanitários da ONU

AVISO LEGAL: As informações e opiniões reproduzidas nos artigos são de responsabilidade de quem as expressa. Publicação em The European Times não significa automaticamente o endosso do ponto de vista, mas o direito de expressá-lo.

TRADUÇÕES DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: Todos os artigos deste site são publicados em inglês. As versões traduzidas são feitas por meio de um processo automatizado conhecido como traduções neurais. Em caso de dúvida, consulte sempre o artigo original. Obrigado pela compreensão.

Notícias das Nações Unidas
Notícias das Nações Unidashttps://www.un.org
Notícias das Nações Unidas - Histórias criadas pelos serviços de notícias das Nações Unidas.

Reiteraram os apelos ao acesso a todas as partes do enclave devastado pela guerra, onde o número de mortos subiu para 15,000 e muitas pessoas deslocadas dormiam nas ruas.

Escritório de coordenação de assuntos humanitários da ONU (OCHAO porta-voz de ) Jens Laerke disse a repórteres em Genebra que a esperança em relação ao acordo entre Israel e o Hamas anunciado no início desta semana é “que a pausa seja respeitada, que nos permita alcançar as pessoas que precisam de nós e que será estendido a um verdadeiro cessar-fogo humanitário a longo prazo".

Além da pausa humanitária de 96 horas nos combates, o acordo, que foi facilitado pelo Egipto, pelo Qatar e pelos Estados Unidos, estipula a libertação dos reféns feitos durante o ataque terrorista do Hamas a Israel, em 7 de Outubro, bem como dos palestinos detidos nas prisões israelitas. .

“Esperamos que o acordo… traga alívio ao povo de Gaza e de Israel e algum alívio aos reféns e detidos que serão libertados, e às suas famílias”, disse Laerke.

Alcançando as pessoas 'onde quer que elas estejam'

O porta-voz do OCHA sublinhou a “situação volátil e intensa” que se desenrolou nas primeiras horas da trégua, sublinhando que “o oleoduto é bastante longo para a ajuda e partes dele – na verdade, grande parte dele – está fora do nosso controlo e tem que fazer com verificação das remessas”.

Falando da urgência de chegar às pessoas necessitadas “onde quer que estejam”, destacou a necessidade premente de acesso ao norte de Gaza “onde os danos e as necessidades humanitárias são maiores” e que há muito está isolado do sul do enclave e da ajuda das operações militares israelitas.

Mais evacuações hospitalares planejadas

Unindo a sua voz à esperança de que a pausa se estenda para um cessar-fogo sustentado, a agência de saúde da ONU (QUEM), o porta-voz Christian Lindmeier destacou a situação dos pacientes e profissionais de saúde presos nos hospitais do norte de Gaza e disse que o planeamento e esforços para novas evacuações, nomeadamente nos hospitais da Indonésia e de Al-Ahli, estão em curso.

Na quarta-feira, num esforço conjunto entre as agências da ONU e a organização humanitária parceira, a Sociedade do Crescente Vermelho Palestiniano (PRCS), 151 feridos e doentes, os seus familiares e profissionais de saúde foram evacuados do hospital Al-Shifa, na cidade de Gaza, e transportados numa ambulância e comboio de ônibus para o sul.

O Sr. Lindmeier disse que QUEM está “extremamente preocupado com a segurança dos cerca de 100 pacientes e profissionais de saúde” que permanecem no hospital. 

Dos 24 hospitais que funcionavam no norte antes da guerra, 22 estão fora de serviço ou incapazes de admitir novos pacientes, enquanto das 11 instalações médicas no sul, oito estão funcionais. A OMS disse que, desses, apenas um tem capacidade para tratar casos de traumas críticos ou realizar cirurgias complexas.

Combustível para operações de resgate

No período que antecedeu a trégua de sexta-feira, às 7h, horário de início, o OCHA notou um aumento de bombardeios e confrontos violentos, afirmando que os ataques israelenses aéreos, terrestres e marítimos se intensificaram na maior parte de Gaza, “juntamente com batalhas terrestres com grupos armados palestinos no norte, em particular Jabalia”, e que foram relatadas muitas vítimas.

Como o número de mortos no enclave ultrapassou os 14,800 na noite de quinta-feira, de acordo com o Gabinete de Comunicação Social do Governo de Gaza citado pelo OCHA, estima-se que milhares de pessoas estejam presas sob as ruínas das suas casas.

Como parte da expansão humanitária, Jens Laerke, do OCHA, insistiu na necessidade de obter mais combustível na Faixa de Gaza para “operar máquinas para tirar as pessoas dos escombros”, dados os enormes danos nas infra-estruturas e o colapso dos edifícios.

O OCHA informou que 68,383 litros de combustível entraram em Gaza vindos do Egipto na quinta-feira, na sequência de uma decisão israelita de 18 de Novembro de “permitir a entrada diária de pequenas quantidades de combustível para operações humanitárias essenciais”. O Escritório da ONU disse semana passada que eram necessários cerca de 200,000 litros de combustível por dia.

Laerke enfatizou que o combustível que vai para Gaza está “sempre sob custódia da ONU” e está sendo distribuído pela agência da ONU para refugiados palestinos, UNRWA.

'Mínimo'

Estima-se que mais de 1.7 milhões de pessoas em Gaza estejam deslocadas internamente e cerca de um milhão delas estejam em mais de 150 abrigos da UNRWA em toda a Faixa. 

Os abrigos no sul, para onde as pessoas foram forçadas a fugir devido às operações militares israelitas, estão muitas vezes acima da capacidade e o OCHA afirmou que a maioria dos homens deslocados e dos rapazes mais velhos dormem ao ar livre, nos pátios das escolas ou nas ruas próximas. 

In uma declaração na quinta-feira, o chefe da UNRWA, Philippe Lazzarini, enfatizou que as pessoas em Gaza “merecem dormir sem ficarem preocupadas se conseguirão sobreviver durante a noite”.

“Este é o mínimo que alguém deveria poder ter”, insistiu ele.

Link Fonte

- Propaganda -

Mais do autor

- CONTEÚDO EXCLUSIVO -local_img
- Propaganda -
- Propaganda -
- Propaganda -local_img
- Propaganda -

Deve ler

Artigos Mais Recentes

- Propaganda -