1.3 C
Bruxelas
Quarta-feira, fevereiro 28, 2024
Escolha dos editoresDia dos Direitos Humanos, não se esqueça dos milhares de crianças ucranianas sequestradas...

Dia dos Direitos Humanos, não se esqueça dos milhares de crianças ucranianas sequestradas e deportadas pela Rússia

AVISO LEGAL: As informações e opiniões reproduzidas nos artigos são de responsabilidade de quem as expressa. Publicação em The European Times não significa automaticamente o endosso do ponto de vista, mas o direito de expressá-lo.

TRADUÇÕES DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: Todos os artigos deste site são publicados em inglês. As versões traduzidas são feitas por meio de um processo automatizado conhecido como traduções neurais. Em caso de dúvida, consulte sempre o artigo original. Obrigado pela compreensão.

Willy Fautre
Willy Fautrehttps://www.hrwf.eu
Willy Fautré, antigo encarregado de missão no Gabinete do Ministério da Educação belga e no Parlamento belga. Ele é o diretor do Human Rights Without Frontiers (HRWF), uma ONG com sede em Bruxelas que fundou em dezembro de 1988. A sua organização defende os direitos humanos em geral, com especial enfoque nas minorias étnicas e religiosas, na liberdade de expressão, nos direitos das mulheres e nas pessoas LGBT. A HRWF é independente de qualquer movimento político e de qualquer religião. Fautré realizou missões de apuramento de factos sobre direitos humanos em mais de 25 países, incluindo em regiões perigosas como o Iraque, a Nicarágua sandinista ou os territórios maoístas do Nepal. Ele é professor em universidades na área de direitos humanos. Publicou muitos artigos em revistas universitárias sobre as relações entre o Estado e as religiões. É membro do Press Club de Bruxelas. É defensor dos direitos humanos na ONU, no Parlamento Europeu e na OSCE.

No Dia dos Direitos Humanos da ONU, 10 de Dezembro, milhares de crianças ucranianas raptadas e deportadas pela Rússia, cujos pais procuram desesperadamente uma forma de as levar para casa, não devem ser esquecidas pela comunidade internacional, afirmou a ONG sediada em Bruxelas, Human Rights Without Frontiers, num comunicado de imprensa divulgado hoje.

Em 6 de Dezembro, o Presidente Zelensky anunciou no seu discurso diário que 6 crianças deportadas para a Rússia dos Territórios Ocupados da Ucrânia tinham sido libertadas com o mediação do Catar.

Ao todo, menos de 400 menores ucranianos foram resgatados em várias operações especiais separadas e concebidas individualmente, de acordo com A plataforma “Filhos da Guerra” criado em nome do Gabinete do Presidente da Ucrânia por várias instituições oficiais ucranianas.

A mesma plataforma divulgou as fotos, nomes e datas de nascimento com o local do desaparecimento de 19,546 crianças deportadas e seu número continua a crescer.

Estatísticas: 20,000? 300,000? 700,000?

É impossível estabelecer o número exacto de crianças deportadas, dada a agressão em grande escala em curso, o difícil acesso aos territórios temporariamente ocupados e o fracasso da parte russa em fornecer informações fiáveis ​​sobre este assunto.

Daria Herasymchuk, Conselheira do Presidente da Ucrânia para os Direitos das Crianças e a Reabilitação das Crianças, notas que o país agressor, a Rússia, poderia ter deportado ilegalmente até 300,000 crianças da Ucrânia durante a guerra.

Em junho de 2023, a Sede de Coordenação Interdepartamental da Federação Russa para a Resposta Humanitária indicou no seu afirmação que desde 24 de fevereiro de 2022, 307,423 crianças foram levadas da Ucrânia para o território da Rússia.

Comissária da Rússia para os Direitos da Criança, Maria Lvova-Belova dito que o número dessas crianças ucranianas é mais de 700,000.

A Rússia cinicamente chama a transferência ilegal de crianças ucranianas de “evacuação”, mas o painel de inquérito da ONU concluiu que nenhum dos casos que examinou era justificado por razões de segurança ou saúde, nem cumpriam os requisitos do direito humanitário internacional”.

As autoridades russas estão a criar obstáculos para impedir que as crianças ucranianas se reúnam com as suas famílias.

No seu relatório sobre a questão, a OSCE notas que as autoridades russas começaram a trabalhar na “transferência” de crianças ucranianas para adoção ou cuidados por famílias russas desde 2014, após a ocupação da Crimeia.

De acordo com o programa russo “Trem da Esperança“, qualquer pessoa de qualquer parte do país poderia adotar crianças ucranianas da Crimeia, às quais foi concedida a cidadania russa.

No final de setembro de 2022, o presidente russo Vladimir Putin assinou um decreto sobre a “adesão” à Federação Russa das regiões parcialmente ocupadas de Zaporizhzhia, Kherson, Donetsk e da região ocupada de Luhansk na Ucrânia. Depois disso, as crianças dessas regiões recém-ocupadas também começaram a ser matriculadas como cidadãos da Federação Russa e adotadas à força.

No 17 March 2023, o Tribunal Penal Internacional emitiu um mandado de prisão contra o presidente russo, Vladimir Putin, e a comissária presidencial russa para os direitos da criança, Maria Lvova-Belova, pelo crime de guerra de deportação ilegal de população e transferência ilegal de população de áreas ocupadas da Ucrânia para a Federação Russa, em prejuízo das crianças ucranianas.

Recomendações

Human Rights Without Frontiers apoia as recomendações do Secretário-Geral da ONU, que insta

  • A Rússia deve garantir que não sejam feitas alterações ao estatuto pessoal das crianças ucranianas, incluindo a sua cidadania;
  • todas as partes devem continuar a garantir que os interesses superiores de todas as crianças são respeitados, nomeadamente facilitando a localização e o reagrupamento familiar de crianças não acompanhadas e/ou separadas que se encontram fora das fronteiras ou linhas de controlo sem as suas famílias ou tutores;
  • que as partes em conflito concedam às autoridades de protecção da criança acesso a estas crianças para facilitar o reagrupamento familiar;
  • o seu Representante Especial para “Crianças e Conflitos Armados”, juntamente com agências e parceiros das Nações Unidas, para considerar formas de facilitar tais processos.

Human Rights Without Frontiers, Avenue d'Auderghem 61/, B – 1040 Bruxelas

 Website: https://hrwf.eu - O email: [email protected]

- Propaganda -

Mais do autor

- CONTEÚDO EXCLUSIVO -local_img
- Propaganda -
- Propaganda -
- Propaganda -local_img
- Propaganda -

Deve ler

Artigos Mais Recentes

- Propaganda -