8.6 C
Bruxelas
Quarta-feira, fevereiro 21, 2024
EuropaEurodeputados querem rotulagem precisa do pequeno-almoço

Eurodeputados querem rotulagem precisa do pequeno-almoço

AVISO LEGAL: As informações e opiniões reproduzidas nos artigos são de responsabilidade de quem as expressa. Publicação em The European Times não significa automaticamente o endosso do ponto de vista, mas o direito de expressá-lo.

TRADUÇÕES DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: Todos os artigos deste site são publicados em inglês. As versões traduzidas são feitas por meio de um processo automatizado conhecido como traduções neurais. Em caso de dúvida, consulte sempre o artigo original. Obrigado pela compreensão.

A revisão visa uma rotulagem de origem mais precisa, para ajudar os consumidores a fazer uma escolha informada sobre uma série de produtos agroalimentares.

Na quarta-feira, a Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar adoptou a sua posição sobre a revisão do EU normas de comercialização para as chamadas directivas «pequeno-almoço» para actualizar os requisitos e as definições dos produtos, com 73 votos a favor, 2 contra e 10 abstenções.

Rotulagem clara da origem geográfica do mel

Dado que os consumidores demonstraram um interesse particular na origem geográfica do mel, os eurodeputados concordam que o país onde o mel foi colhido deve aparecer no rótulo, no mesmo campo visual que a indicação do produto. Se o mel for originário de mais de um país, os países serão indicados no rótulo em ordem decrescente de acordo com a proporção e se mais de 75% do mel vier de fora da UE, esta informação também será indicada claramente no rótulo frontal. Para limitar ainda mais a fraude no mel, incluindo a utilização de xaropes de açúcar no mel, que é muito difícil de detetar, os eurodeputados pretendem também criar um sistema de rastreabilidade ao longo da cadeia de abastecimento para poder rastrear a origem do mel. Os apicultores na UE com menos de 150 colmeias ficariam isentos.

Sucos de frutas e geléias

Os eurodeputados concordam que o rótulo “contém apenas açúcares naturais” deveria ser permitido para sumos de fruta. Para satisfazer a crescente procura de produtos com baixo teor de açúcar, os sumos de fruta reformulados podem ser rotulados como «sumo de fruta com teor reduzido de açúcar».

Os eurodeputados sublinham que as novas técnicas que removem os açúcares naturais nos sumos de fruta, compotas, geleias ou leite não devem levar à utilização de adoçantes para compensar o efeito da redução do açúcar no sabor, na textura e na qualidade do produto final. Eles também ressaltam que alegações relativas a propriedades positivas, como benefícios à saúde, não devem ser feitas nos rótulos de sucos de frutas com teor reduzido de açúcar.

No caso dos sumos de fruta, compotas, geleias, marmeladas e puré de castanha adoçado, os eurodeputados também pretendem que o país de origem da fruta utilizada para fabricar o sumo seja indicado no rótulo frontal. Se a fruta utilizada for originária de mais de um país, os países de origem serão indicados no rótulo por ordem decrescente de acordo com a sua proporção.

No que diz respeito às compotas, os eurodeputados concordam com a proposta de aumentar o teor mínimo de fruta, reduzindo o açúcar adicionado necessário para determinados produtos, e permite que o termo «marmelada» seja utilizado para todas as compotas (anteriormente este termo só era permitido para compotas de citrinos).

Parâmetros

Relator Alexandre Bernhuber (PPE, Áustria) afirmou: “Hoje é um bom dia para uma rotulagem de origem mais transparente. Além de critérios e controles de qualidade mais rigorosos, a indicação mais precisa dos países de origem proporcionará mais transparência e facilitará aos consumidores a escolha de produtos mais saudáveis ​​e regionais. Para o mel, os requisitos de indicação dos países de origem na rotulagem evitarão a adulteração e facilitarão escolhas informadas do consumidor.”

Próximos passos

O Parlamento deverá adotar o seu mandato durante a sessão plenária de 11 a 14 de dezembro de 2023, após a qual estará pronto para iniciar negociações com os Estados-Membros da UE.

Contexto

A revisão das normas de comercialização da UE para certas diretivas relativas ao «pequeno-almoço» foi proposta pela Comissão Europeia em 21 de abril de 2023 para atualizar as normas atuais com mais de 20 anos.

- Propaganda -

Mais do autor

- CONTEÚDO EXCLUSIVO -local_img
- Propaganda -
- Propaganda -
- Propaganda -local_img
- Propaganda -

Deve ler

Artigos Mais Recentes

- Propaganda -