15.7 C
Bruxelas
Wednesday, July 24, 2024
ReligiãoPROIBIDOExiste uma arquitetura e existe um artesanato de diálogo inter-religioso

Existe uma arquitetura e existe um artesanato de diálogo inter-religioso

AVISO LEGAL: As informações e opiniões reproduzidas nos artigos são de responsabilidade de quem as expressa. Publicação em The European Times não significa automaticamente o endosso do ponto de vista, mas o direito de expressá-lo.

TRADUÇÕES DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: Todos os artigos deste site são publicados em inglês. As versões traduzidas são feitas por meio de um processo automatizado conhecido como traduções neurais. Em caso de dúvida, consulte sempre o artigo original. Obrigado pela compreensão.

Central de notícias
Central de notíciashttps://europeantimes.news
The European Times Notícias visa cobrir notícias importantes para aumentar a conscientização dos cidadãos em toda a Europa geográfica.

ROMA – “Existe uma arquitetura e existe um artesanato de diálogo inter-religioso”, ou seja, os grandes temas subjacentes à relação entre as religiões e a sua ligação à vida quotidiana, conforme relatado pelo TusciaTimes.eu

Foi a partir desse interessante ponto de partida, nascido da vivacidade cultural do apresentador Paolo Bonini, que no sábado, 17 de fevereiro, foi realizado na Igreja de Scientology Auditório em Roma.

Um evento alinhado com a intenção da resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas em 2010 que proclamou a Semana Mundial da Harmonia Inter-religiosa, no palco, motivado pelas perguntas e reflexões de Bonini, interagiu em diálogo: Maria Rosaria Fazio, professora de Hebraico Bíblico; Assem Migahed, pesquisador intelectual da espiritualidade e ciência islâmica; Giuseppe Cicogna, vice-presidente da Fedensieme ApS e porta-voz da Igreja de Scientology; Fabio Grementieri, criador do parque temático educativo de Santiago Estero (Argentina); Gustavo Guillerme', presidente do Congresso Mundial de Diálogo Intercultural e Inter-religioso; e Massimo AbdAllah Cozzolino, da Confederação Islâmica Italiana.

Também diversificado foi o público composto por pessoas religiosas e não religiosas, incluindo representantes de budistas Theravada, católicos, Scientologists, Budistas Soka Gakkai, Igreja Anglicana da Europa, UAAR (União de Ateus Racionalistas Agnósticos), Comunidade Afegã e mediadores culturais.

Interlúdios musicais temáticos de Maurizio De Simone (guitarra), Francesco Passarelli (vocal) e Samuele Bonini (vocal) pontuaram o ritmo e a melodia de uma encruzilhada cultural onde os pináculos do pensamento religioso e secular encontram harmonia e constroem uma paz tangível no terreno, apesar o contexto actual em que até falar de paz pode parecer paradoxal.

Se fosse possível extrair um resumo comum dos vários discursos e testemunhos, talvez soasse assim: “As guerras têm uma propaganda aparentemente interminável, meios e interesses materiais difíceis de superar. Mas a paz pode e deve ser cultivada e cultivada dentro de cada um de nós; e é graças a momentos como o de hoje [último sábado Ed] – que ocorrem continuamente de diferentes formas e em diferentes lugares do mundo – que podemos e devemos continuar a construir um presente e um futuro melhores.”

- Propaganda -

Mais do autor

- CONTEÚDO EXCLUSIVO -local_img
- Propaganda -
- Propaganda -
- Propaganda -local_img
- Propaganda -

Deve ler

Artigos Mais Recentes

- Propaganda -