15.8 C
Bruxelas
Segunda-feira, junho 24, 2024
EuropaBjørn Berge deu a entender que os líderes religiosos são pilares da democracia

Bjørn Berge deu a entender que os líderes religiosos são pilares da democracia

AVISO LEGAL: As informações e opiniões reproduzidas nos artigos são de responsabilidade de quem as expressa. Publicação em The European Times não significa automaticamente o endosso do ponto de vista, mas o direito de expressá-lo.

TRADUÇÕES DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: Todos os artigos deste site são publicados em inglês. As versões traduzidas são feitas por meio de um processo automatizado conhecido como traduções neurais. Em caso de dúvida, consulte sempre o artigo original. Obrigado pela compreensão.

Central de notícias
Central de notíciashttps://europeantimes.news
The European Times Notícias visa cobrir notícias importantes para aumentar a conscientização dos cidadãos em toda a Europa geográfica.

Berlim. Último 14 de maio de 2024, numa conferência crucial realizada em Berlim, Bjørn Berge, Secretário-Geral Adjunto do Conselho da Europa, fez um discurso convincente sobre o papel crucial que os líderes religiosos podem desempenhar na revitalização das democracias europeias. A conferência, intitulada “Como os Líderes Religiosos Podem Ajudar a Revigorar as Democracias Europeias”, reuniu algumas das principais figuras de vários sectores para abordar a questão premente do retrocesso democrático em todo o continente, mas esqueceu um grande número de religiões que não eram representado.

Berge começou o seu discurso reconhecendo o padrão preocupante de declínio da democracia, na Europa mencionando o aumento das restrições às liberdades na linguagem e o impacto divisivo dos populistas e nacionalistas. Salientou o caso da Rússia, onde a deterioração democrática resultou no conflito, com a Ucrânia a sublinhar os graves resultados de tal regressão.

“Têm sido observados níveis crescentes de retrocesso democrático em todo o nosso continente, com as liberdades de expressão, associação e reunião a serem cada vez mais restringidas”, Berge mencionou a importância de ajudar a Ucrânia e proteger as democracias, na Europa.

Berge afirmou que o Conselho da Europa está activamente envolvido na implementação de estratégias para fazer face a estes desenvolvimentos, tais como iniciativas e a introdução dos 10 novos Princípios da Democracia, durante a Cimeira de Reykjavík. Ele enfatizou o papel desempenhado pelos líderes neste esforço. “O desafio hoje é como podemos pedir aos nossos líderes religiosos que ajudem a combater o retrocesso democrático e a promover um espírito de diálogo e compromisso”, observou Berge.

As comunidades religiosas, tal como destaca Berge, desempenham um papel na sociedade, prestando assistência aos seus membros durante os tempos e gerindo serviços comunitários, como distribuição de alimentos, abrigos e programas de recuperação. Estes esforços de colaboração com as organizações mostram a capacidade dos líderes para promover a unidade dentro das comunidades e defender os princípios democráticos.

“A questão não é se o diálogo inter-religioso pode ajudar a revigorar as democracias, mas de que forma e com foco em que questões”, observou Berge. Ele apelou a um envolvimento que vá além dos números para incluir pessoas comuns, em conversas, entre diferentes religiões, promovendo a compreensão mútua e a colaboração em várias esferas.

Berge terminou o seu discurso encorajando figuras e comunidades a desempenharem um papel de liderança no fortalecimento de democracias coesas e diversificadas. Expressou também o seu agradecimento às autoridades italianas, bem como à Presidência do Liechtenstein do Comité de Ministros do Conselho da Europa, pela sua assistência, na facilitação desta importante conversa.

“Pessoas de todas as religiões – e de nenhuma – beneficiam do direito à liberdade de pensamento, de consciência e de religião nas democracias europeias. Esta liberdade deve ser a base para as pessoas de fé se unirem e usarem as suas extraordinárias habilidades e talentos para defender a nossa própria democracia”, afirmou Berge.

A conferência serve como prova do papel que os líderes religiosos desempenham na abordagem de um desafio que afecta actualmente a Europa. À medida que as conversações avançam, será interessante observar como estes líderes avançam e ajudam a revitalizar valores e instituições em todo o continente.

- Propaganda -

Mais do autor

- CONTEÚDO EXCLUSIVO -local_img
- Propaganda -
- Propaganda -
- Propaganda -local_img
- Propaganda -

Deve ler

Artigos Mais Recentes

- Propaganda -