14.5 C
Bruxelas
Segunda-feira, junho 17, 2024
NotíciasNova tecnologia muda a forma como as proteínas em células individuais são estudadas

Nova tecnologia muda a forma como as proteínas em células individuais são estudadas

AVISO LEGAL: As informações e opiniões reproduzidas nos artigos são de responsabilidade de quem as expressa. Publicação em The European Times não significa automaticamente o endosso do ponto de vista, mas o direito de expressá-lo.

TRADUÇÕES DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: Todos os artigos deste site são publicados em inglês. As versões traduzidas são feitas por meio de um processo automatizado conhecido como traduções neurais. Em caso de dúvida, consulte sempre o artigo original. Obrigado pela compreensão.

Central de notícias
Central de notíciashttps://europeantimes.news
The European Times Notícias visa cobrir notícias importantes para aumentar a conscientização dos cidadãos em toda a Europa geográfica.

De acordo com um novo estudo da Nature Methods, pesquisadores do Karolinska Institutet, em conjunto com a Pixelgen Technologies, desenvolveram e aplicaram uma técnica que permite mapear proteínas em células individuais de uma maneira completamente nova. Agora é possível medir a quantidade de proteínas, como elas estão distribuídas na membrana celular e como interagem entre si.

Anteriormente, os investigadores só podiam estudar um número limitado de proteínas em células individuais utilizando citometria de fluxo. Mas a nova técnica, chamada pixelização molecular, vai um passo além. Agora é possível analisar centenas de proteínas simultaneamente e obter uma imagem mais detalhada da sua distribuição e interações em células individuais. Isto é importante porque as proteínas são cruciais na função e sinalização celular. 

“Ao compreender como as proteínas se comportam nas células individuais, podemos estudar melhor doenças como o cancro e doenças inflamatórias. Além disso, podemos usar a técnica para avaliar novos medicamentos e seu impacto na distribuição de proteínas nas células”, afirma um dos autores do estudo, Peter Brodin, Professor da Departamento de Saúde da Mulher e da Criança, Instituto Karolinska, e continua:

“Ninguém mais relatou anteriormente um caso semelhante tecnologia, e é por isso que isso é tão único.

Segundo Petter Brodin, o próximo passo é usar a pixelização molecular em pesquisas sobre câncer, sistema imunológico e outros processos em que a distribuição de proteínas muda ao longo do tempo. 

“Isso é emocionante porque abrirá novas possibilidades na análise unicelular e contribuirá para a nossa compreensão dos processos biológicos”, diz Petter Brodin. 

Fonte: Karolinska Institutet

- Propaganda -

Mais do autor

- CONTEÚDO EXCLUSIVO -local_img
- Propaganda -
- Propaganda -
- Propaganda -local_img
- Propaganda -

Deve ler

Artigos Mais Recentes

- Propaganda -