22.1 C
Bruxelas
Monday, July 15, 2024
DefesaUm búlgaro transportou os caixões para a Torre Eiffel por 120 euros

Um búlgaro transportou os caixões para a Torre Eiffel por 120 euros

AVISO LEGAL: As informações e opiniões reproduzidas nos artigos são de responsabilidade de quem as expressa. Publicação em The European Times não significa automaticamente o endosso do ponto de vista, mas o direito de expressá-lo.

TRADUÇÕES DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: Todos os artigos deste site são publicados em inglês. As versões traduzidas são feitas por meio de um processo automatizado conhecido como traduções neurais. Em caso de dúvida, consulte sempre o artigo original. Obrigado pela compreensão.

Um cidadão búlgaro, juntamente com outros dois homens, colocou caixões com a inscrição “Soldados franceses da Ucrânia” ao pé da Torre Eiffel. Os três foram levados a um tribunal francês para estabelecer “uma possível interferência estrangeira”, informou a AFP. Os trilhos levam a Moscou.

O Ministério Público solicitou que os três suspeitos fossem acusados ​​de crime premeditado. Trata-se de um homem búlgaro de 38 anos que conduzia o carro que transportava os caixões, um homem de 25 anos nascido na Alemanha e um homem de 17 anos nascido na Alemanha. Ucrânia, disse o Ministério Público.

Os três saíram em 2nd de junho “cinco caixões em tamanho natural cobertos com a bandeira francesa, com a inscrição 'Soldados franceses de Ucrânia'”, disse à AFP uma fonte informada sobre o caso. Havia gesso nos caixões.

Segundo a mesma fonte, o condutor da carrinha foi então “interrogado nas proximidades” da Torre Eiffel. A verificação do seu telefone revelou uma ligação com um homem, também de cidadania búlgara, que foi “identificado” pelos investigadores em ligação com outro caso – com as “mãos vermelhas” pintadas no memorial do Holocausto em Paris, em meados de maio.

Segundo fonte informada próxima do caso, outras duas pessoas foram detidas à tarde na rodoviária de Bercy, que se preparavam para “pegar um ônibus para Berlim”.

Questionado, o motorista disse à polícia que não conhecia os dois jovens que haviam descarregado os caixões. Ele disse que os encontrou “no dia anterior com os caixões e pediu que os abrissem para ter certeza de que não havia corpos”, disse uma fonte policial à AFP.

Os dois jovens disseram que “se conheceram uma vez em Berlim, mas vieram para França separadamente”, acrescentou esta fonte. Os três disseram estar “desempregados e precisando de dinheiro”, acrescentou a fonte policial. O motorista “recebeu 120 euros pelo trabalho e o jovem – 400 euros”.

O incidente assemelha-se a dois casos recentes em que existem as mesmas suspeitas de “possível interferência estrangeira”. Na noite de 13 para 14 de maio, “mãos vermelhas” foram pintadas no memorial do Holocausto em Paris, e a polícia suspeita de três pessoas que fugiram para o estrangeiro.

Em outubro, após o início da guerra entre Israel e o Hamas, estrelas de David foram pintadas com spray nas fachadas de vários edifícios na região de Paris. As autoridades francesas culpam o Serviço Federal de Segurança Russo (FSB) pelos acontecimentos que levaram à detenção de um casal moldavo.

Em ambos os casos, são “mercenários pagos para desestabilizar e tirar partido da divisão da sociedade francesa”, como afirma o francês. Europa e o ministro das Relações Exteriores, Stéphane Sejournet, em meados de maio.

Foto ilustrativa da Pixabay: https://www.pexels.com/photo/eiffel-tower-during-daytime-161853/

- Propaganda -

Mais do autor

- CONTEÚDO EXCLUSIVO -local_img
- Propaganda -
- Propaganda -
- Propaganda -local_img
- Propaganda -

Deve ler

Artigos Mais Recentes

- Propaganda -