12.5 C
Bruxelas
Sexta-feira, Maio 24, 2024
Direitos humanosTransforme a declaração histórica dos direitos indígenas em realidade: Presidente da Assembleia Geral da ONU

Transforme a declaração histórica dos direitos indígenas em realidade: Presidente da Assembleia Geral da ONU

AVISO LEGAL: As informações e opiniões reproduzidas nos artigos são de responsabilidade de quem as expressa. Publicação em The European Times não significa automaticamente o endosso do ponto de vista, mas o direito de expressá-lo.

TRADUÇÕES DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: Todos os artigos deste site são publicados em inglês. As versões traduzidas são feitas por meio de um processo automatizado conhecido como traduções neurais. Em caso de dúvida, consulte sempre o artigo original. Obrigado pela compreensão.

Notícias das Nações Unidas
Notícias das Nações Unidashttps://www.un.org
Notícias das Nações Unidas - Histórias criadas pelos serviços de notícias das Nações Unidas.

“Nestes tempos difíceis – onde a paz está sob grave ameaça e o diálogo e a diplomacia são extremamente necessários – sejamos um exemplo de diálogo construtivo para honrar os nossos compromissos com os Povos Indígenas”, disse Dennis Francis aos líderes mundiais e embaixadores reunidos na Assembleia Geral. Salão de Assembleias.

Estados-Membros reuniram-se para comemorar o 10.ºth aniversário da Conferência Mundial sobre Povos Indígenas, onde os países reafirmaram o seu compromisso de promover e proteger os direitos dos Povos Indígenas.

O documento final expressou apoio à implementação do marco Declaração da ONU sobre os Direitos dos Povos Indígenas, adoptado em 2007, que prescreveu normas mínimas para o reconhecimento, protecção e promoção destes direitos. 

Pobreza, desigualdade e abuso 

O Sr. Francisco refletiu sobre as conquistas da ONU durante este período, como a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, que promete não deixar ninguém para trás, e o Década Internacional das Línguas Indígenas (2022-2032),que visa preservar essas línguas e proteger as culturas, tradições, sabedoria e conhecimento indígenas.

“Apesar desses avanços, Os Povos Indígenas ainda têm maior probabilidade de viver em pobreza extrema – ainda mais probabilidade de sofrer os impactos adversos das alterações climáticas, e ainda mais probabilidade de enfrentar desapropriação e despejo de terras ancestrais, além de terem acesso desigual à saúde e à educação, em comparação com outros grupos”, disse. 

Além disso, Mulheres indígenas ainda têm três vezes mais probabilidade de sofrer violência sexual durante a sua vida em comparação com os seus homólogos não-indígenas.  

“Devemos intensificar as nossas ações para traduzir a histórica Declaração da ONU de 2007 em mudança significativa no terreno", Disse ele. 

Garantir direitos intrínsecos 

Li Jinhua, chefe do Departamento de Assuntos Económicos e Sociais da ONU, observou que o falta de participação efetiva pelos Povos Indígenas nos processos de desenvolvimento continua a ser um grande obstáculo ao avanço dos esforços a nível nacional.  

No entanto, com a assistência da ONU, alguns governos adoptaram planos de acção nacionais e outras medidas para apoiar a implementação efectiva da declaração histórica sobre os direitos indígenas.  

Ele instou os países a estabelecerem medidas concretas para reconhecer e garantir os direitos intrínsecos e coletivos dos Povos Indígenas, incluindo o direito à autodeterminação e autonomia, bem como a sua propriedade histórica e direitos culturais. 

“Os Estados-Membros devem colmatar as lacunas persistentes na implementação através de intervenções específicas que sejam consistentes com as próprias leis, costumes e tradições dos Povos Indígenas. Um financiamento mais direto, de longo prazo e previsível também deve fazer parte da solução”, acrescentou. 

'Povos da Mãe Terra' 

O Vice-Presidente da Bolívia, David Choquehuanca, destacou os desafios que os Povos Indígenas do mundo enfrentam, começando com esta designação. 

“Para começar, temos que reconhecer que passivamente nos permitimos ser batizados com o nome dos Povos Indígenas”, disse ele, optando, em vez disso, pelos termos “povos indígenas ancestrais” e “povos da Mãe Terra”

Ele disse que os Povos Indígenas participam em eventos da ONU “como corpos desintegrados, esgotados da nossa energia e sem estrutura” porque “abordagens eurocêntricas, antropocêntricas e egocêntricas” são favorecidas em detrimento das “abordagens cosmobiocêntricas” que lhes são caras. 

Rumo à plena participação

Com o prazo da Agenda 2030 a aproximar-se, o Presidente do Conselho Fórum Permanente da ONU sobre Questões Indígenas, Hinduu Oumarou Ibrahim, enfatizou a importância de incluir os Povos Indígenas nas revisões nacionais voluntárias sobre o progresso rumo ao desenvolvimento sustentável. 

“É necessária atenção especial para as mulheres e meninas indígenas, as guardiãs das nossas tradições e percepções sobre uma vida sustentável”, acrescentou ela. 

Ibrahim também apelou ao reconhecimento das iniciativas lideradas pelos indígenas, incluindo as da Conferência Alta de 2013 na Noruega, que moldaram a Conferência Mundial da ONU realizada no ano seguinte. 

“Reiteramos o apelo da Alta para o estabelecimento de mecanismos na ONU para a nossa plena participação e defendemos a nomeação urgente de um Subsecretário-Geral para os Povos Indígenas”, disse ela. 

Ela acrescentou que nas comunidades indígenas todas as vozes são ouvidas – desde os mais velhos sábios até aqueles que estão começando a falar.  

Link Fonte

- Propaganda -

Mais do autor

- CONTEÚDO EXCLUSIVO -local_img
- Propaganda -
- Propaganda -
- Propaganda -local_img
- Propaganda -

Deve ler

Artigos Mais Recentes

- Propaganda -