9.4 C
Bruxelas
Domingo abril 21, 2024
ÁsiaA Tailândia persegue a Religião Ahmadi da Paz e da Luz. Por que?

A Tailândia persegue a Religião Ahmadi da Paz e da Luz. Por que?

Por Willy Fautré e Alexandra Foreman

AVISO LEGAL: As informações e opiniões reproduzidas nos artigos são de responsabilidade de quem as expressa. Publicação em The European Times não significa automaticamente o endosso do ponto de vista, mas o direito de expressá-lo.

TRADUÇÕES DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: Todos os artigos deste site são publicados em inglês. As versões traduzidas são feitas por meio de um processo automatizado conhecido como traduções neurais. Em caso de dúvida, consulte sempre o artigo original. Obrigado pela compreensão.

Willy Fautre
Willy Fautrehttps://www.hrwf.eu
Willy Fautré, antigo encarregado de missão no Gabinete do Ministério da Educação belga e no Parlamento belga. Ele é o diretor do Human Rights Without Frontiers (HRWF), uma ONG com sede em Bruxelas que fundou em dezembro de 1988. A sua organização defende os direitos humanos em geral, com especial enfoque nas minorias étnicas e religiosas, na liberdade de expressão, nos direitos das mulheres e nas pessoas LGBT. A HRWF é independente de qualquer movimento político e de qualquer religião. Fautré realizou missões de apuramento de factos sobre direitos humanos em mais de 25 países, incluindo em regiões perigosas como o Iraque, a Nicarágua sandinista ou os territórios maoístas do Nepal. Ele é professor em universidades na área de direitos humanos. Publicou muitos artigos em revistas universitárias sobre as relações entre o Estado e as religiões. É membro do Press Club de Bruxelas. É defensor dos direitos humanos na ONU, no Parlamento Europeu e na OSCE.

Por Willy Fautré e Alexandra Foreman

A Polónia proporcionou recentemente um refúgio seguro a uma família de requerentes de asilo provenientes da Tailândia, perseguidos por motivos religiosos no seu país de origem, o que no seu depoimento parece ser muito diferente da imagem de uma terra paradisíaca para os turistas ocidentais. O seu pedido está actualmente a ser examinado pelas autoridades polacas.

Hadee Laepankaeo (51), sua esposa Sunee Satanga (45) e sua filha Nadia Satanga, que agora estão na Polônia, são membros da Religião Ahmadi de Paz e Luz. Eles foram perseguidos na Tailândia porque suas crenças estão em conflito com a constituição, mas também com a comunidade xiita local.

Depois de ter sido presa e tratada duramente na Turquia, a família decidiu tentar atravessar a fronteira e procurar refúgio na Bulgária. Eles estavam no grupo de 104 membros do Religião Ahmadi de Luz e Paz que foram detidos na fronteira e espancados pela polícia turca antes de serem detidos durante meses em campos de refugiados em condições terríveis.

A Religião Ahmadi de Paz e Luz é um novo movimento religioso que tem suas raízes no Islã Twelver Shia. Foi fundada em 1999. É chefiado por Abdullah Hashem Aba Al-Sadiq e segue os ensinamentos do Imam Ahmed al-Hassan como seu guia divino. Não se confunde com a Comunidade Ahmadiyya fundada no século XIX por Mirza Ghulam Ahmad num contexto sunita, com o qual não tem relações.

Alexandra Foreman, uma jornalista britânica que cobriu a questão dos 104 membros da Religião Ahmadi de Paz e Luz, investigou as raízes dessa perseguição religiosa na Tailândia. O que se segue é o resultado de sua investigação.

O conflito entre a constituição tailandesa e as crenças da Religião Ahmadi de Paz e Luz

Hadee e a sua família tiveram que deixar a Tailândia porque este se tornou um lugar cada vez mais perigoso para os crentes da Religião Ahmadi de Paz e Luz. A lei de lesa-majestade do país, o Artigo 112 do código penal, permanece como um dos estatutos mais rigorosos do mundo contra o insulto à monarquia. Esta lei tem sido implementada com rigor crescente desde a tomada do poder pelos militares em 2014, conduzindo a duras penas de prisão para numerosos indivíduos.

A Religião Ahmadi de Paz e Luz ensina que só Deus pode nomear o governante, o que levou muitos crentes tailandeses a serem alvos e presos sob Lesa-Majesta.
Além disso, o capítulo 2, seção 7 da constituição da Tailândia designa o rei como budista e o chama de “defensor das religiões”.

Os membros da Religião Ahmadi de Paz e Luz encontram um conflito fundamental devido ao seu sistema de crenças, uma vez que a sua doutrina religiosa sustenta que o defensor da religião é o seu líder espiritual, Aba Al-Sadiq Abdullah Hashem, criando assim uma incongruência ideológica com o papel designado. do Rei no âmbito do Estado.

Além disso, de acordo com o capítulo 2, seção 6 da constituição da Tailândia “O Rei será entronizado em uma posição de adoração reverenciada”. Os adeptos da Religião Ahmadi de Paz e Luz são incapazes de oferecer adoração ao Rei da Tailândia devido à sua crença fundamental de que apenas Deus e Seu vice-regente divinamente nomeado merecem tal reverência. Consequentemente, eles consideram a afirmação do direito do Rei ao culto como ilegítima e incompatível com a sua doutrina religiosa.

Wat Pa Phu Kon panoramio Tailândia persegue a Religião Ahmadi de Paz e Luz. Por que?
Matt Prosser, CC BY-SA 3.0 , via Wikimedia Commons – templo budista Wat Pa Phu Kon (Wikimídia)


Embora a Religião Ahmadi da Paz e da Luz seja uma religião oficialmente registada nos Estados Unidos e na Europa – no entanto, não é uma religião oficial na Tailândia e, portanto, não é protegida. A lei da Tailândia reconhece oficialmente apenas cinco grupos religiosos: budistas, muçulmanos, brâmanes-hindus, sikhs e cristãos, e na prática o governo, por uma questão de política, não reconhecerá quaisquer novos grupos religiosos fora dos cinco grupos guarda-chuva. Para receber tal status, a Religião Ahmadi de Paz e Luz precisaria para obter permissão das outras cinco religiões reconhecidas. No entanto, isto é impossível, pois os grupos muçulmanos consideram esta religião herética, devido a algumas das suas crenças, como a revogação das cinco orações diárias, a Caaba estando em Petra (Jordânia) e não em Meca, e que o Alcorão tem corrupções.

Hadee Laepankaeo, pessoalmente perseguido por lesa-majestade

Hadee Laepankaeo, que acredita na Religião Ahmadi de Paz e Luz há seis anos, foi anteriormente um activista político activo como parte da Frente Unida da Democracia Contra a Ditadura, vulgarmente conhecido como o grupo “camisa vermelha”, que defende contra a autoridade da monarquia tailandesa. Quando Hadee abraçou a Religião Ahmadi de Paz e Luz, os estudiosos religiosos tailandeses associados ao governo consideraram que era uma excelente oportunidade para enquadrá-lo sob as leis de lesa-majestade e instigar o governo contra ele. A situação tornou-se cada vez mais perigosa quando os crentes se viram alvo de ameaças de morte por parte de seguidores xiitas associados a Sayyid Sulaiman Husaini, que acreditavam que poderiam agir impunemente, sem medo de repercussões legais.

As tensões aumentaram significativamente após o lançamento, em Dezembro de 2022, de “O Objectivo dos Sábios”, o Evangelho da Religião Ahmadi de Paz e Luz. Este texto, crítico do governo do clero iraniano e do seu poder absoluto, desencadeou uma onda global de perseguição contra membros da Religião Ahmadi de Paz e Luz. Na Tailândia, estudiosos ligados ao regime iraniano sentiram-se ameaçados pelo conteúdo das escrituras e começaram a fazer lobby junto ao governo tailandês contra a Religião Ahmadi de Paz e Luz. Eles procuraram implicar Hadee e outros crentes com acusações de lesa majestade nos termos do Artigo 112 do Código Penal Tailandês.

Em dezembro, Hadee fez discursos no Paltalk em tailandês, discutindo “O Objetivo dos Sábios” e defendendo a crença de que o único governante legítimo é aquele nomeado por Deus.

Em 30 de dezembro de 2022, Hadee enfrentou um encontro preocupante quando uma unidade secreta do governo chegou à sua residência. Forçado a sair, Hadee foi agredido fisicamente, resultando em ferimentos, incluindo a perda de um dente. Acusado de lesa-majestade, recebeu ameaças de violência e foi advertido contra uma maior divulgação das suas crenças religiosas.

 Posteriormente, ele foi detido por dois dias em um local não revelado que lembrava uma casa segura, sofrendo maus-tratos diários. Temendo novas perseguições, Hadee absteve-se de procurar assistência médica para os ferimentos, temendo represálias das autoridades que já o consideravam uma ameaça à monarquia. As preocupações com a segurança da sua família levaram Hadee, a sua esposa e a sua filha, Nadia, a fugir da Tailândia para a Turquia em 23 de janeiro de 2023, procurando refúgio entre crentes com ideias semelhantes.

Incitação ao ódio e à morte por um estudioso xiita

Os membros tailandeses da religião Ahmadi também enfrentaram uma campanha de perseguição por parte de grupos religiosos que são muito influentes na Tailândia, com fortes laços com o governo e especialmente com o rei.

Muitos muçulmanos fundamentalistas são liderados pelo proeminente estudioso xiita Sayid Sulaiman Huseyni, que emitiu uma série de diretivas destinadas a incitar a violência contra membros da Religião Ahmadi de Paz e Luz. “Se você os encontrar, bata neles com uma vara de madeira”, disse ele e afirmou que “A Religião Ahmadi de Paz e Luz é inimiga da religião. É proibido fazer qualquer atividade religiosa juntos. Não façam nenhuma atividade com eles, como sentar e rir ou comer juntos, ou então vocês também compartilharão os pecados desse desorientação.” Sayid Sulaiman Huseyni terminou o sermão fazendo uma oração para que se os membros da religião Ahmadi não se arrependessem e abandonassem a religião, então Deus deveria “eliminar todos eles”.

Não há futuro seguro para a Religião Ahmadi de Paz e Luz na Tailândia


A perseguição governamental contra membros da Religião Ahmadi de Paz e Luz culminou quando 13 de seus membros foram presos durante uma marcha pacífica em Had Yai, província de Songkhla, sul da Tailândia, em 14 de maio de 2023. Seus membros condenavam então a estrita lesa-majestade leis e a falta de liberdade para proclamar a sua fé na Tailândia. Durante o interrogatório, foi-lhes dito que estavam proibidos de proclamar ou manifestar publicamente as suas crenças novamente.

Desde a sua partida, os irmãos de Hadee que permaneceram na Tailândia enfrentaram assédio da polícia secreta, sendo questionados sobre o seu paradeiro. Esta pressão levou-os a cortar o contacto com Hadee por medo de mais assédio por parte das autoridades tailandesas.

- Propaganda -

Mais do autor

- CONTEÚDO EXCLUSIVO -local_img
- Propaganda -
- Propaganda -
- Propaganda -local_img
- Propaganda -

Deve ler

Artigos Mais Recentes

- Propaganda -